Mantras

Inserido por em Aug 19, 2011 | artigos

Sobre o Mantra: Uma breve introdução

“A sutil vibração do Kiirtan1 harmoniza e normaliza as funções glandulares do corpo, dissolve o egoísmo, elimina os pensamentos negativos e cria uma extraordinária vibração de beatitude, despertando a evoção e o desejo interno pela Plena Consciência” (P.R. Sarkar) - Por Cecília Valentim

Mantra significa “o som que liberta a mente”.

Segundo as antigas escrituras da Índia e de outras tradições2 , ao longo da coluna verte­bral e no cérebro, existem sete centros de energia ou “chakras”3. A ideação e a vibração acústica sutil do mantra ressoa nos centros energéticos dos chakras e nas glândulas endócrinas a elas associadas, equilibrando o fluxo de energia do corpo, refletindo dire­tamente na saúde corpóreomental  do praticante.

Estudos acadêmicos mostram que cantar em geral mas, principalmente cantar Mantras, modula as ondas elétricas do cérebro, leva a uma maior coerência cerebral e amplitude das ondas Alfa e Teta4, semelhante aos estados de meditação, abrindo as portas para ní­veis sutis5 da consciência6. Isto se dá pela forma circular do mantra que, musicalmente, significa a ausência de sensação de começo e fim, simplicidade na estrutura melódica, harmônica e rítmica e pela repetição da frase, que gera um pulso regular7. Estudos em­píricos mostram que cada vogal e cada harmônico vibra em um determinado chackra8. Portanto, ao cantar mantras, altas freqüências ressoam em nosso organismo, em cada centro energético sutil do nosso corpo, transformando a dissonância em consonância, a incoerência em coerência, dissolvendo as interferências que geram distorções em nosso padrão original, restaurando a vibração onde somos puramente nós mesmos e, ao mesmo tempo, o sentimento de pertencimento a uma vibração maior, de todos.

——————————————————————————————————————————

1 Kiirtan é um tipo especial de mantra que expressa o poder da devoção.

2 Encontramos referências a este tema em textos sagrados de antigas tradições  como o Tantra, o Budismo Tibetano, entre os  Hebreus, os  Bizantinos e os Persas. No Brasil,  na tradição Guarani, o humano é considerado Tu-py, ou seja, flauta em pé, afinada a partir dos tons essenciais do ser, tons que participam de todos os seres, assim como a série harmônica compõe todos os sons e cada som é uma determinada composição de harmônicos.São sete os tons que os antigos guaranis utilizavam para afinar o espírito. Estes tons são as vogais Y U O A E I , do primeiro ao sexto chakra e, por últi­mo, o som “insonoro”, no sétimo chakra.

3 Ao longo da coluna vertebral existem sete centros básicos de energia, chamados  de Chakras. Cada centro de energia ou chakra, está ligado uma glandula endócrina específica.

4 Alfa e Teta são ondas elétricas cerebrais, que se diferenciam pela forma, amplitude  e ritmo. Ondas elétricas cerebrais  são ondas eletromagnéticas produzidas pelas células cerebrais, medidas por ciclos por segundo (Hertz) e mudam de acordo com a atividade elétrica dos neurônios. Cada padrão de onda está relacionado com um  estado diferente de consciência. Ondas Alfa, cuja freqüência varia de 8 a 12 Hz, estão relacionadas ao relaxamento, estado mental de atenção e serenidade. Pesquisas levam a crer que nesta freqüência há uma elevação na produção  de serotoninas, neurotransmissor relacionado ao estado de bem-estar e ao alívio da dor. A falta de serotonina está relacionada aos estados de depressão.

Ondas Teta são ondas cuja freqüência varia de  4 a 8Hz e estão relacionadas aos estados de meditação profunda e vigília. Pesquisas aportam, no estado Teta, para uma maior produção de catecolaminas, neurotransmissor ligado à memória, plasticidade mental  e aprendizagem. Em ambos os estados – Alfa e Teta- verifica-se uma maior produção de  endorfinas, neurotransmissor responsável pelos  estados de maior concentração, pacificação, prazer e alegria interior.

5 “As canções são enraizadas no mundo físico, mas seu impacto está nas camadas mais sutis da mente humana. As canções produzem uma onda vibracional que faz nossas ondas mentais tornarem-se retas e, ao endireitar, as ondas mentais tocam, por sua vez, no ponto da alma”

Citação de P.R. Sarkar, mestre indiano.

6 Em seu livro O Universo Autoconsciente, Amit Goswami define a  consciência como o fundamento do ser – original, auto-suficiente e constitutiva de todas as coisas – que se manifesta como o sujeito que escolhe, e experimenta o que escolhe, ao produzir o colapso auto-referencial da função de onda quântica em presença da percepção do cérebro-mente.

7 “Cantar ou falar ritmicamente é em seu sentido mais profundo uma invocação ativa, uma realiza­ção, um intercâmbio no interior da camada acústica do mundo….O mundo foi criado através da energia cantante como primeira manifertação de um pensamento em que o som da vibração primordial sacrifi­cou a si mesmo,  sendo progressivamente elaborado num ritmo espiralado crescente de novas vibrações cada vez mais altas, metaforseando-se aos poucos em pedra e carne.” Shneider, M, Pedras que Cantam, pág.12.

8 “O segredo era bem conhecido por mestres de todas as épocas: os antigos rishis (videntes) indianos, que viviam solitários nas escarpas do Himalaia, os sufis persas, adeptos do culto a Zoroastro, os sarcedotes nas pirâmides esípcias, os magos vudu e os curandeiros da África e da América do Sul sabiam e sabem que as sílabas e palavras mântricas, sejam elas cantadas ou recitadas, provocam um fenômeno interno sutil, que gradualmente despertam os centros invisíveis de energia, levando-os a dimensões profundas da consciência.” Hamel, Peter M., O Autoconhecimento Através da Música, cap.III,  pág. 148 e149.

 

Leave a Comment